Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias segue trabalhando de forma antecipada ao período de f


Ao longo deste ano, o contingente de 60 agentes participou de mais de 800 horas de treinamento e capacitação. O tempo investido tem o objetivo melhorar o atendimento à população de forma mais rápida e eficaz, além de implementar a cultura da prevenção na cidade. Foram realizados 16 testes das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, sendo 10 diurnos e seis noturnos. O sistema também ganhou mais dois equipamentos em dezembro: graças a uma parceria da prefeitura com a iniciativa privada, começaram a funcionar as sirenes na Estrada do Gentio e no Buraco do Sapo, locais afetados pela tragédia de 2011.

Em conjunto com a população, a Defesa Civil realizou dois simulados de evacuação: um na Rua João Xavier, no Bingen, e outro no São Sebastião, que contou a presença do prefeito Bernardo Rossi. As ações foram realizadas com o apoio de outras instituições, como a Cruz Vermelha, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar. O trabalho em conjunto é parte dos planos de contingência do município, que foram elaborados após duas mil horas de reuniões que envolveram mais de 100 órgãos diferentes.

Com 234 áreas de risco alto ou muito alto – equivalente a 18% do município - e um déficit habitacional de 12 mil casas, a prefeitura demonstra grande preocupação com as chuvas de verão. A prova disso foi a criação do programa SOS Chuvas, que funciona em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade Estácio de Sá (Unesa) e a Universidade Católica de Petrópolis (UCP). Foram disponibilizados 57 estagiários voluntários para trabalhar em três eixos: Articulação e Mobilização Comunitária; Fiscalização e Controle da Ocupação Desordenada e Fiscalização e Revegetação.

O trabalho de prevenção que vem sendo realizado pelo município ganhou o reconhecimento da Organização das Nações Unidas (ONU) neste ano. Em agosto, a ONU concedeu o prêmio de cidade resiliente do mês para Petrópolis pelo trabalho de articulação realizado dentro do Plano Inverno 2017. Além disso, Petrópolis foi uma das duas cidades do Estado do Rio de Janeiro indicadas pelo órgão como município com potencial de se transformar em modelo mundial para redução de riscos de desastres, ao lado de Niterói. As Nações Unidas listaram 50 municípios nas Américas, sendo sete no Brasil.

O trabalho também ganhou destaque na reunião anual da Associação Brasileira de Redução de Riscos de Desastres (ABRRD). As ações foram apresentadas no encontro do órgão nacional, que contou com a presença de representantes da Defesa Civil de todo o país, além de militares do Corpo de Bombeiros, voluntários, empresas convidadas e professores universitários.


Tel:  (24) 2242-1558

End : Rua Washington Luiz, 391

Petrópolis - Brasil

@2018 Jornal dos distritos

  • Google+ - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle