banner tere 2
banner tere 2

Super Terê Frutas
Super Terê Frutas

Solar do Carangola
Solar do Carangola

banner tere 2
banner tere 2

1/13

Melhorias na BR-040 e o destino das obras foram discutidas em audiência na 2ª Vara Federal


O destino das obras para construção da nova pista de subida da Serra na BR-040 e a necessidade de melhorias na principal via de acesso à cidade, foram discutidos em audiência realizada na tarde de segunda-feira (23.10) na 2ª Vara Federal. A audiência foi a primeira – em que o juiz ouviu depoimentos das partes – para decidir o mérito da ação, o que deverá ocorrer após o prazo de 30 dias estabelecido pelo magistrado para que a Concer, ANTT e União – réus no processo - se manifestem. A ação é de autoria do Ministério Público Federal e tem a prefeitura como parte, uma vez que o município também tem instrumentos jurídicos questionando concessionária e a agência reguladora.

A audiência foi convocada pelo juiz Federal Fábio Brandão que irá decidir sobre o pedido de tutela antecipada feito pelo Ministério Público Federal, que ingressou com uma ação requisitando que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) faça a intervenção da Concer - medida necessária para que o MPF busque a caducidade do contrato de concessão da rodovia, que termina em abril de 2021.

“Uma cidade se faz pelos seus acessos e hoje Petrópolis tem duas pistas e nenhuma ao mesmo tempo: a atual, sem manutenção e obsoleta e a “nova”, que não tem 40% de conclusão. O maior penalizado é o petropolitano que usa a estrada todos os dias. O reflexo é no bolso com indústria e comércio com prejuízos”, protesta o prefeito Bernardo Rossi.

O procurador Geral, Sebastião Médici, representou o município, na audiência. Em agosto a Procuradoria já havia ingressado com duas ações na Justiça Federal requisitando melhorias na atual pista de subida e a intervenção da ANTT sobre a Concer.

“O município está ao lado do MPF, unindo forças para melhorar as condições da principal via de acesso a Petrópolis”, destaca o procurador, lembrando que uma das questões apontadas pelo MPF foi a condição crítica da atual pista de subida da Serra. “O MPF entende, assim como a prefeitura, que a falta de manutenção viária não pode ser justificada pela falta de repasse dos aportes para a nova subida da serra visto que o pedágio é recolhido e deve ser usado na manutenção da via em operação”, disse

A construção da nova pista de subida da serra teve início em 2012 e deveria ter sido concluída antes da realização das Olimpíadas do Rio, em 2016. Hoje as intervenções estão orçadas em mais de R$ 1,7 bilhão - dos quais R$ 1,3 bilhão são recursos federais e as obras estão paralisadas.

O trecho de 21 quilômetros da Serra de Petrópolis tem uma projeção de prejuízos na economia fluminense de R$ 1,6 bilhão até 2020, de acordo com estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan).


1c1ec9ee-8b53-4c36-8751-134bdbc44c01.jpg